Quissamã aperta o cerco e fará novas restrições no superferiado

A prefeita de Quissamã, Fátima Pacheco, adiantou na noite desta quarta-feira (24) novas medidas restritivas para conter a propagação da Covid-19, que serão adotadas a partir de sexta-feira (26), quando começa o ‘superferiado’ de 10 dias no Estado do Rio. Entre as novidades está o fechamento de bares, restaurantes, lanchonetes, lojas de conveniência, quiosques e afins; proibição de cultos religiosos; fechamento de academias, salões de beleza e clínicas de estética; além de toque de recolher entre 22h e 5h.

 

Em live nas suas redes sociais, Fátima citou a situação dramática vivida por cidades vizinhas, que já têm fila de espera para leitos clínicos e UTI. A prefeita frisou que a situação no Hospital Mariana Maria de Jesus está próxima ao limite, com 27 internados, sendo 15 na clínica médica e 12 na UTI, destes, 5 pacientes necessitam de ventilação mecânica.

 

– Discutimos o novo decreto com a Câmara Municipal e também apresentamos os principais pontos aos comerciantes. Entendemos o momento difícil e os prejuizos do setor econômico, mas hoje não há outra alternativa em virtude da gravidade da situação. Só estamos conseguindo atender a demanda no hospital porque no final do ano passado planejamos o aumento dos leitos”, destacou Fátima.

 

O infectologista Marcus Vinicius Miranda criticou a postura de quem desrespeita as regras protetivas, definidas pela Organização Mundial de Saúde. “Nunca imaginei que seria tão difícil as pessoas entenderem a questão do comportamento. A proteção é fundamental para evitar a propagação da doença. Vivenciamos não apenas o colapso da saúde, mas também da civilização. Às vezes, me sinto trabalhando em vão”, desabafou o médico, lembrando que mais de 300 internações foram registradas nos últimos 12 meses.

 

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, Arnaldo Mattoso, disse que agências bancárias e a casa lotérica funcionarão com 30% da capacidade de ocupação. Nos supermercados, mercearias, hortifruti e acougues, a permissão sobe para 50%.

 

Mattoso pontuou que os 10 dias do superferiado não devem ser encarados como férias. “Não adianta a Prefeitura fazer a sua parte e as pessoas aproveitarem para promover churrascos e outras iniciativas que facilitem aglomerações. Todos precisam ter consciência do quadro delicado que enfrentamos”, acrescentou.

 

Segunda a prefeita Fátima Pacheco, o novo decreto será publicado nesta quinta-feira (25) e será válido da sexta-feira (26) até o domingo de Páscoa, no dia 4 de abril.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email