Dauro Aragão, presidente do UniFOA, morre aos 89 anos

O presidente da Fundação Oswaldo Aranha (FOA) e do Centro Universitário de Volta Redonda (UniFOA), Dauro Peixoto Aragão, faleceu na madrugada deste domingo (7), aos 89 anos, em um hospital particular de Volta Redonda, onde estava internado. Com fortes ligações também em Quissamã, no Norte Fluminense, Dauro foi proprietário da Pousada Tuyuyu, em Barra do Furado, na década de 90, mesmo período em que teve atuação na política local. Andrea Aragão, uma de suas filhas, reside na cidade. A causa da morte não foi revelada, mas Dauro estava doente há algum tempo, segundo amigos e familiares.

Empresário tabelião aposentado, Dauro Peixoto Aragão nasceu em Barra Mansa, em 1931. Aos 21 anos, foi nomeado oficial de registro civil em Volta Redonda, pelo então governador Amaral Peixoto. No ano de 1961, assumiu a titularidade do Cartório do 1º ofício de Volta Redonda.

Ele também exerceu outras atividades relacionadas à Justiça Estadual. Dauro Aragão foi presidente da subseção da Associação dos Notários e Registradores do Estado do Rio de Janeiro, presidente do Sindicato dos Notários e Registradores do Estado do Rio de Janeiro, e vice-presidente presidente da entidade.

Foi designado Secretário da Junta Apuradora do plebiscito para a emancipação de Volta Redonda á época distrito de Barra Mansa. Na vida política, Dauro foi secretário do MDB do diretório municipal e fundador do partido em Volta Redonda. Passou também pelo PSD de Barra Mansa, em 1955. Em Quissamã, fundou e presidiu o diretório do PSB.

Dauro Aragão também investiu na área de comunicação. No município de Quissamã foi proprietário do “Jornal da Cidade”; em Volta Redonda do “Ação”; e “O Sul Fluminense”, em Barra Mansa.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email