Para que serve a arte?

É natural do ser humano a necessidade de expressar seus sentimentos, crenças, emoções, pensamentos e convicções. Em tempos de isolamento social (ou que deveria ser), tivemos um encontro agradável com esta profissão: ARTISTA.

Curioso pensar como trabalhadores da cultura usam de seu processo criativo para atuar no dia a dia das pessoas e a gente nem se dá conta disso. A arte é um instrumento empregador de múltiplas possibilidades e há quem ainda nos chame de “va-ga-bun-dos”.

A intenção do homem perante a arte varia de acordo com o contexto em que seu autor está naturalmente inserido, porém quem a recebe também “participa de sua construção” por meio de nossas emoções e leituras diversas. Então a ARTE está aí passeando no seu dia a dia, no meu, e também no dos colegas que não a reconhecem como profissão.

Eu fiz uma pergunta que talvez ainda não tenha resposta, que é margem para larga discussão acadêmica ou de mesa de bar. Filósofos de botequim (como eu) adorariam o tema, mas minha licença poética prefere conversar. Então, me conta, você está há quanto tempo sem ouvir música? E a sua TV, fica quanto tempo desligada? Qual o toque do seu celular? Claro que vai ter aquela galera “diferentona”, que vai tentar responder que não ouve música, não vê TV e o celular está no silêncioso. Mas para estes fica apenas meus mais sinceros: Ah, tá!!!
Até o próximo papo, super colega!

Início da aventura

Olá, queridos leitores dessa aventura que será escrever sobre arte e cultura em meio aos meus devaneios de pensadora/artista crítica, muitas vezes ácida, tantas vezes doce e quase sempre tudo misturado. Mas nunca bagunçado!

Nesse início de conversa convido vocês a me conhecerem um pouco.

É só ler minha descrição abaixo e somar uma boa dose de bom humor, um esquecimento de nomes e datas e uma curiosidade imensa sobre a vida.

Pronto. Já somos super colegas!

Em tempos de isolamento social o convite para escrever essa coluna me pega de surpresa, porque estamos vendo a potência da arte em nossas vidas, foram lives e lives e mais lives que nos alegraram em meio ao medo e as incertezas. Foram muitos os trabalhadores da cultura que usaram de sua profissão para aquecer os corações aflitos ou para esfriar os corações ansiosos. 2020 passou! O ano em que arte deixou de lado o discurso de que “arte não serve para nada”. Mas esse papo eu levo com vocês em outro momento. Hoje estou só convidando você para ser super colega!